Jaqueline Moraes

Psicoterapia de Família e de Casal por:

Jaqueline da Silva Moraes - Psicóloga - CRP 05/47931 

 

* Psicoterapia de Família

A maioria das pessoas conhece pouco a psicoterapia de família, portanto vamos apresentar brevemente alguns aspectos e benefícios dessa psicoterapia.

Assim como a psicoterapia individual, a familiar reconhece a importância da história familiar do indivíduo e suas influências na sua construção como sujeito. Mas o que difere ambas? A psicoterapia de família não busca apenas provocar mudanças individuais, mas no todo. O olhar sobre o grupo acredita que quando um membro começa a mudar, isso reflete no comportamento do outro.

Para simplificar, pensemos em um sistema, com engrenagens interligadas, onde o funcionamento de uma interfere na outra. Desse modo, esse sistema vivo interagindo juntos no setting terapêutico, oferece material rico para o psicoterapeuta trabalhar e vivenciar os problemas com a família. Através da observação da dinâmica dos membros, relações, alianças construídas e a maneira que se comunicam, podemos compreender a organização familiar e contribuir com ela. No entanto, mesmo fazendo parte de um todo, não deixamos de ter experiências singulares e desejos próprios, que não são ignorados na psicoterapia de família.

Uma pergunta comum é se qualquer queixa pode ser tratada com psicoterapia de família.

Devemos pensar no contexto de cada caso e avaliar, mas certos problemas são mais suscetíveis à busca da abordagem familiar, principalmente queixas envolvendo os filhos, hostilidades e conflitos interpessoais. Mudanças como nascimento de um irmão, recasamento e separação são transições significativas para os membros, que devem ser consideradas, pois interferem na dinâmica das relações. A psicoterapia de família pode ser o método exclusivo de tratamento ou combinada com demais métodos, como a psicoterapia individual.

Portanto, a psicoterapia de família oferece um espaço para que cada um possa ouvir e buscar juntos o equilíbrio que foi rompido. O psicoterapeuta atua fornecendo alicerces para que a família desenvolva potencialidades e volte a promover sua saúde emocional.

Uma ideia que me agrada é pensar que a transformação subjetiva provoca mudanças sincrônicas nos outros. Como uma árvore, temos raízes que contribuem para que cresçamos fortes e saudáveis. Sendo assim, me permito finalizar citando Nichols e Schwartz:
"(...) Estamos inseridos em uma rede de relacionamentos, somos parte de algo maior que nós mesmos."

 

* Psicoterapia de Casal

A psicoterapia de casal é de fundamental utilidade no tratamento de problemas conjugais.

Buscamos, dentro do entendimento da psicoterapia de casal, compreender o relacionamento como complementar. Isto é, o comportamento de um está ligado ao do outro. Sabemos que as discussões conjugais permeiam por acusações, culpados e queixas. No processo terapêutico, pretende-se sair desse ciclo de retroalimentação, apontando para o quanto suas ações influenciam para que o outro aja desse jeito negativo.

Em alguns casos, os conflitos do casal refletem no desenvolvimento sadio dos filhos, repercutindo em sintomas pelos quais a criança é encaminhada para psicoterapia individual. Porém, muitas das vezes, o mais adequado seria o tratamento direcionado ao casal, para cuidarem de questões referentes à conjugalidade.

Portanto, viver a dois, consiste em um caminho complexo, mas prazeroso se conseguirmos criar uma identidade conjugal em equilíbrio com as demandas de cada um. Satisfazer o "nós" sem abrir mão do "eu" pode parecer difícil quando a comunicação é falha e os conflitos são constantes. Assim, o espaço terapêutico assume um lugar acolhedor, de escuta para o sofrimento psíquico do casal. O Psicoterapeuta age como um terceiro que contribui para a manutenção do laço conjugal e promoção de saúde emocional para ambos.

Psicóloga Jaqueline Moraes
Especialista em Psicoterapia de Família e Casal pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. (Puc-Rio)